NEUROCOACHING NO PROCESSO DE AUXÍLIO AOS PAIS DE PACIENTES CRIANÇAS NA CLÍNICA FONOAUDIOLÓGICA

A metodologia NeuroCoaching é a união dos conhecimentos e princípios da Neurociência às ferramentas e práticas de Coaching.

 

A Neurociência é a área que investiga e procura compreender de forma mais ampla e completa como o nosso cérebro funciona nos modos de agir, de pensar e de sentir. Os benefícios destes estudos vão além da área da saúde, proporcionando clareza de entendimentos nas áreas da educação, da tecnologia e da administração. Há um benefício geral diante de um melhor conhecimento sobre como se dão nossas emoções e os pensamentos, assim como o impacto causado por eles nos comportamentos e nas memórias.

 

Coaching, por sua vez, é uma forma de desenvolvimento pela qual um profissional auxilia um aprendiz ou cliente a adquirir um objetivo pessoal ou profissional específico.

 

A combinação destas duas propostas resulta no processo de NeuroCoaching utilizado, portanto na capacitação e desenvolvimento de pessoas para aperfeiçoar seu desempenho nos vários papéis cotidianos que interpretamos diariamente.

 

 

Atualmente observamos um fenômeno na sociedade moderna referente à educação de nossas crianças, que tem chamado a atenção de pesquisadores, filósofos, médicos, psicólogos, educadores e até mesmo de cidadãos comuns. Me refiro à fragilidade dos pais no processo de condução e orientação de seus filhos e à condição em que encontram-se as atuais relações sociais e familiares.

 

Essa condição atual traz uma infinidade de consequências em vários aspectos do desenvolvimento infantil, inclusive no de fala e de linguagem, objeto de estudo e atuação da clínica fonoaudiológica.

 

A comunicação de muitas crianças e adolescentes pede por socorro! Os novos hábitos e crenças da modernidade, determinados pela nova forma de viver, têm provocado dúvidas e incertezas nestes pais que empoderam seus filhos e ao mesmo tempo os impedem de crescer, muitas vezes fragilizando-os.

 

A tecnologia dos aparelhos eletrônicos e da internet toma o lugar do outro significativo no discurso, os olhares se perdem, a rapidez destrói o prazer da espera da conquista, mina a capacidade de adaptação e de atitude desses pequeninos seres que fazem sua estreia no mundo, com a ilusão de que tudo, absolutamente tudo é possível de acordo com seus desejos. Só conseguem ter olhos para o prazer absoluto. E o diálogo... não acontece. Chegam cada vez mais com seus pais à clínica fonoaudiológica não falando no tempo adequado, com graves dificuldades de mastigação, absolutamente seletivos aos alimentos, difluentes, com trocas articulatórias cada vez mais intensas e sistemáticas e absolutamente ansiosos.

 

A intervenção fonoaudiológica torna-se doída, sofrida, pois para mudar o padrão de fala é preciso aceitar, focar, insistir, persistir e por vezes, até frustrar. Frustrar filhos... e pais!

 

Quem são esses pais? Quem são esses filhos?

 

Quem são as famílias que chegam atualmente em busca de orientação e auxílio da Fonoaudiologia? Como funcionam estes cérebros? De que forma nós, profissionais fonoaudiólogos, podemos auxiliar estes pais para lidarem com as duas caras ( a do bem e a do mal) da internet, das redes sociais, dos aparelhos mais sedutores? Saindo de um lugar não saudável para um lugar ideal de comunicação?        

Então surge, no meu caminho, como profissional da comunicação, um grande aliado: o NeuroCoaching. Suas ferramentas serão absolutamente importantes para ajudar a conduzir estas famílias no processo de mudança da comunicação de seus filhos. Será possível auxiliá-los a enxergar seus pontos fortes e seus pontos a desenvolver na obtenção do objetivo final. Considerar suas referências emocionais torna-se imprescindível neste processo.

 

Ao atendimento de crianças na clínica da linguagem está implícito o acolhimento de seus pais, pois a queixa é trazida por eles e não por elas. O movimento de mudanças precisa ocorrer em família. Cada uma delas possui sua particularidade, suas constituições psíquicas e físicas, suas histórias anteriores e suas rotinas.

 

Não há receita! Cada lar é um lar! Cada pai é um pai! Cada mãe é uma mãe!

 

O NeuroCoaching me auxiliará a conduzi-los no processo de entendimento de vários pontos: onde querem chegar com o tratamento de fonoterapia? Como enxergam seu próprio comportamento em relação à fala de seus filhos? Como podem agir diferente? O quanto estão comprometidos com isso? O que é realmente importante para eles? Quais são as soluções para esse desafio?

 

Como pais, cabe sempre um momento de autoavaliação que possa esclarecer como estão os principais aspectos da vida conjunta, na qual está inserido, aquele pequeno indivíduo, que, muitas vezes, nem compreende o que irá fazer naquele ambiente terapêutico, dependendo totalmente de um bom funcionamento da engrenagem desta máquina denominada família.

 

A minha função como fonoaudióloga sempre foi essa: em parceria com seus pais, promover mudanças na linguagem das crianças que chegam à clínica.

 

A partir de agora, as ferramentas do NeuroCoaching entram na cena clínica, para complementar e enriquecer a condução desse processo, com o intuito de atingir melhores resultados, através de uma melhor clareza e entendimento da família, base para o crescimento e sucesso da comunicação dos pequenos clientes.