O que é preciso fazer para alcançar a Alta Performance?

 

Quando se pensa em Alta Performance, facilmente vem à cabeça exemplos de pessoas muito bem-sucedidas tanto na vida pessoal quanto profissional. No entanto, Alta Performance, significa alcançar o melhor de cada potencial, sendo assim, cada qual têm sua meta e ideal de Alta Performance. Contudo, como é possível atingir esse ideal? A maneira mais eficaz e infalível de alvejar é autoconhecer-se.

 

Autoconhecimento é o processo pelo qual o indivíduo toma consciência de si, de suas crenças, paradigmas, valores e atitudes. Assim sendo, o indivíduo passa a compreender de maneira clara e objetiva como seu cérebro funciona diante dos estímulos. Com frequência o autoconhecimento é tratado no âmbito de uma análise das possibilidades de autocontrole. Sabendo que os eventos privados, que são constituídos de estímulos e respostas, pode-se entender que conhecer-se significaria ser capaz de discriminar estímulos e respostas encobertas.

 

Quanto mais se treina a auto-observação e interpretação dos fatores pessoais que agem sobre a experiência, mais preparado o indivíduo pode se tornar em controlar os eventos tanto internos quanto externos, podendo deste modo, entender o porquê do comportamento e quais as suas consequências. A observação é a principal ferramenta de autoconhecimento, ela está diretamente ligada ao aumento da consciência existencial, das possibilidades e expectativas, que promovem a melhoria dos recursos e ampliam estratégias de sucesso, desta forma, potencializa a conquista de excelentes resultados pessoais e profissionais. Os primeiros passos para melhorar nosso autoconhecimento e performance, é estar 100% presente, atento ao momento atual por meio de atenção, direcionamento, concentração e uso de todos os sentidos.

 

Os pensamentos são a força motivadora da ação, da construção do sucesso e da evolução. Observando e questionando-se é possível treinar e desenvolver essa habilidade de emergir à consciência a funcionalidade dos pensamentos e ações. Quanto melhor for a qualidade da observação e os estímulos promovidos por ela, atrelados às características das indagações, maior será o nível de consciência de si, ou seja, o autoconhecimento.

 

Um excelente impulso para o autoconhecimento e estruturação da identidade é o processo de coaching. Relacionado à orientação para atingir metas de modo a aperfeiçoar o desempenho pessoal. O processo viabiliza por meio de técnicas e ferramentas que o coachee, aumente seu nível de consciência de si, de suas crenças, padrões comportamentais que possam estar impedindo seu desenvolvimento e travando a máxima utilização de seus talentos e potencialidades.

 

Contemporâneo ao coaching se destaca atualmente o neurocoaching, processo que estimula o reconhecimento e desenvolvimento de forças para ultrapassar resistências que interferem no desenvolvimento, facilitando que o coachee ressignifique suas crenças disfuncionais, e promova o fortalecimento de sua identidade e de seus valores, podendo assim alinhar seus sonhos e objetivos com seus resultados. Sendo assim, o neurocoaching é o resultado dos conhecimentos sobre o funcionamento cerebral com as técnicas e ferramentas do coaching.

 

Segundo OLIVEIRA, crenças são conjuntos de parâmetros emocionais adquiridos desde o momento do nascimento, gerados a partir da percepção de como se desenvolve a relação com pais e/ou cuidadores na primeira infância”, elas responsáveis por limitar o comportamento na vida adulta. Crenças funcionais são referenciais construídos a partir de uma condição emocional capaz de promover comportamentos que impulsionam inovação em busca de resultados melhores que os atuais, por outro lado, crenças disfuncionais são capazes de distorcer comportamentos, e impedir o reconhecimento de habilidades, potencialidades e merecimentos.

 

Elas exercem enorme influência sobre o modo de interagir com as pessoas. Aquilo que se acredita tende a determinar o comportar-se em relação aos outros. O comportamento tende a influenciar a qualidade dos relacionamentos que entre as pessoas, e isso, consequentemente, influencia os resultados obtidos.

 

Em momentos nos quais as crenças disfuncionais encaram situações que vão de encontro a elas, ocorre imediatamente a retração psíquica que impede a ressignificação dessas crenças disfuncionais. Neste sentido surge o efeito rebote, dinâmica que exerce uma força oposta, que direciona o indivíduo a fugir da situação desagradável e permanecer na zona de conforto, na posição conhecida em que está.

 

As crenças são os estímulos, experiências emocionais que movem o indivíduo, seja ele para uma jornada de Alta Performance ou para fugir dos obstáculos. Ao identificar os padrões comportamentais inadequados é possível entender o que está sendo impróprio para a evolução e poder observar a importância imprescindível da conscientização das próprias emoções e reações que o autoconhecimento provoca. Por se tratar de um processo de mudança profunda das crenças, paradigmas, valores e atitudes, e as utilizar de maneira apropriada para cada momento o autoconhecimento se torna assim, o segredo para alcançar Alta Performance.

 

Mais importante que escolher é saber o que é melhor e mais importante para si.