Psicossomática e Neurocoaching

 

Mãos tremendo ao fazer algo novo, coração disparado antes de falar em público, dor de barriga por causa de uma prova são apenas alguns dos sintomas comuns que muitas pessoas têm em momentos de nervosismo. Esses tipos de instabilidades podem ser chamados de males psicossomáticos.

 

O corpo e a mente são uma unidade, então se o emocional de uma pessoa não vai bem ela pode desenvolver as chamadas doenças psicossomáticas, que se fortalecem com a instabilidade emocional. Todos temos momentos bons e ruins, e a chave de tudo, é saber lidar com todas as situações de maneira saudável. É fato que cada um reage de uma forma diferente para situações das quais não se sente confortável. A doença psicossomática se revela ao longo do tempo e, é nesse momento, que o seu organismo avisa que algo está errado.

 

Segundo o Dr. Juan Hitzig: “Cada pensamento gera uma emoção e cada emoção mobiliza um circuito hormonal que terá impacto nos trilhões de células que formam um organismo”.

 

Funcionamento da química da emoção do nosso cérebro:

 

  • O pensamento é gerado no córtex pré-frontal e se projeta para o sistema límbico (pro- cessamento das emoções);

  • O hipotálamo é ativado;

  • O cortisol é sintetizado e liberado;

  • O organismo percebe o efeito das emoções que nos fazem mal: taquicardia, suor, hipertensão, gastrite, etc;

  • O sistema de imunidade se enfraquece com a repetição dos efeitos emocionais. Com este desgaste, a dificuldade de reconhecer e gerenciar as emoções, e a consequente baixa da imunidade e/ ou doenças crônicas sem explicação aparente;

  • Nosso organismo abre as portas para as Doenças Psicossomáticas.

 

“ A doença é o grito de uma alma agredida”. Peter Altenberg

 

A importância de um atendimento mais abrangente, interdisciplinar para os pacientes que desenvolveram uma doença crônica psicossomática, destaca-se como essencial para a promoção de saúde dentro de um modelo integrativo biopsicossocial. A visão global de um ser humano exige que diferentes abordagens se adaptem para produzir um entendimento mais completo da dinâmica interna e externa do paciente, que necessita de diferentes ações voltadas para um mesmo objetivo: a busca por um estado de saúde integral dentro das possibilidades individuais e coletivas.

 

O ponto de partida para cura de qualquer doença ou síndrome é o auto-conhecimento. É comum o Coaching atuar como auxiliar no tratamento, apoiando o paciente (cliente) no desenvolvimento de novas competências laborais a fim de evitar novos gatilhos das doenças psicossomáticas. O Coaching irá ajudar o cliente na reestruturação de seu plano profissional de trabalho e pessoal, sendo fundamental para este tratamento uma alteração do modelo mental que gera o gatilho para a doença.

 

Aperfeiçoando o desempenho nos papéis cotidianos que interpretamos diariamente, transformando qualitativamente a auto percepção sobre aqueles com quem nos relacionamos e sobre o contexto onde atuamos, a percepção ampliada e aprofundada das situações vividas, favorece a análise, diagnóstico e processos decisórios do que denominamos viver, contribuindo com o conforto emocional,

 

Por fim, ignorar uma situação não significa eliminá-la ou superá-la. Tal postura permite que os seus fatores conjuntivos cresçam e se desenvolvem, até o momento que se tornam insustentáveis.

 

“ Somos as únicas criaturas da face da terra capazes de mudar nossa biologia pelo o que pensamos e sentimos! Nossas células estão constantemente bisbilhotando nossos pensamentos e sendo modificado por eles.” Deepack Chopra