A travessia como protagonista na promoção de alta performance

É provável que o primeiro questionamento que apareça ao ler o título seja: qual a relação existente entre travessia e promoção de resultados de alta performance? Sendo o objetivo de um processo de mudança sair de um ponto A e atingir outro ponto B alcançando objetivos estipulados, a travessia é auto-explicativa, pois se define como o ato ou efeito de atravessar de um lado para o outro. Neste caso podemos traduzi-la como o processo de caminhar para que se concretize o que foi estipulado. A grande questão é a importância ou a falta de importância dada a essa caminhada.

 

Estipula-se uma meta e um objetivo a ser alcançado, mas se é esquecido de que sem o ato de atravessar não se chega a lugar nenhum. O quão produtivo é identificar aonde se quer chegar sem traçar o caminho a ser percorrido? Ou ainda mais preocupante é não aproveitar o percurso, colocando todo foco e energia no objetivo final, na linha de chegada, ignorando ou menosprezando os desafios e conquistas diárias. 

 

Há diversos fatores que contribuem para esse comportamento de almejar apenas o resultado final: ego, imediatismo, ansiedade, crenças limitantes, mecanismos de defesas, pressão externa  entre outros que forçam os olhos a mirarem o chão e não conseguirem contemplar a paisagem. O desejo de ser bem-sucedido, às vezes, é tanto que se esquece de que são pequenos atos que nos levam a pequenas vitórias todos os dias. 

 

Travessia é mais do que uma palavra, é coragem, é resistência, é ir na direção contrária aos ventos impostos por todos os lados, é querer sair do lugar comum, é desafiador, é desesperador, é libertador, é imprescindível. Sem a travessia não há mudança, não há êxito, não há resultado, não há alta performance. 

 

Como tem sido sua travessia? Como lida diariamente com seus indicadores de sucesso e pontos ainda a serem desenvolvidos? O quão real é o momento em que vive? Seu foco tem sido projetar o futuro ou viver o presente?

 

Poderia encerrar o texto com dicas de como obter sucesso nessa jornada, mas seria vago e pretencioso. A responsabilidade de definir o que é sucesso é individual, bem como a maneira com que cada um vivencia esse processo.

 

Cabe deixar aqui um convite à reflexão e o desejo de que todos protagonizem uma brilhante travessia.

 

 Giovanna Carvalho - NeuroCoaching